o fim…

31/08/2010 § Deixe um comentário

e o começo. vou encerrar as atividades deste blog, mas vou tentar continuar no on multiverse. passem lá.

Minha Mid Season: Friday Night Lights

18/08/2010 § Deixe um comentário

Friday Night Lights é a série teen menos teen que já vi. Existem os típicos dramas adolescentes, porém, inseridos com um toque mais realista, e de forma bem mais densa que outras séries. Aliado a um ótimo roteiro, o ponto forte aqui são os personagens. Todos tem uma história boa pra contar. Todos tem algo especial a oferecer. E claro, todos são muito bem interpretados.

Graças a FNL conheci minha nova mãe: Tami Taylor. Se há algum tempo atrás eu era fascinado com Kirsten Cohen, hoje eu tenho essa daqui. É uma das mulheres que mais amo nas séries. E se sozinha ela já fantástica, junto ao marido (Coach Fucking Taylor), a coisa fica melhor ainda. A química é impressionante, os diálogos são bem feitos, e a facilidade que ambos tem de agir como um casal, é totalmente inspirador.

Junto a Tami, meu outro personagem favorito é o Matt. Nenhum outro adolescente na série me conquistou tanto assim. Sua relação com a avó é uma das melhores. E a avó em si já é a coisa mais fofa do mundo. Ele consegue acabar com a chatice da Julie em diversos momentos. E ela só funciona com ele (tem aí a segunda temporada pra provar o quanto a personagem fica irritante). Dos diversos momentos tocantes, pode ter certeza que a maioria tem ele no meio. Enfim, Matt Saracen é a maior perda que a série pôde ter.

Em relação aos outros personagens, cada um marcou de uma forma. Smash, Jason, e Tyra com os seus últimos momentos fantásticos, provavelmente foram os que mais cresceram pessoalmente na série. O Tim vive tendo seus momentos de bom rapaz, mas episódio após episódio, ele só faz cagada e só se ferra. A Lyla era ótima com ele, mas infelizmente eles não deram certo. E o Landry, bem…começa chato, melhora, vai tendo suas horas, mas no final das contas não é grande coisa.

Falando um pouco de temporada por temporada agora. A primeira é a mais bonitinha, perfeitinha, onde todos estão bem, onde as histórias boas acontecem, e onde aprendemos a gostar de cada personagem. A segunda enfraquece com a chatice da Julie, a história da Lyla, mas ganha um pouco com o envolvimento do Landry com a Tyra. E depois da greve, a gente começa a terceira como se nada tivesse acontecido. Landry e Tyra separados, e Lyla e Tim juntos. Mas ainda assim, essa temporada é fantástica. E termina com os dois melhores episódios da série até hoje.

A quarta eu vou dar um parágrafo exclusivo. O que acontece nessa temporada é uma gigantesca reformulação. Novos personagens entrando, antigos saindo. Entram os Lions, saem os Panthers. Este foi de certa forma o grande problema. Perdemos os personagens que nos fizeram amar a série. O que a gente tinha que fazer era aceitar. Uns conseguiram, outros não. Particularmente,  comecei a deixar os novos personagens entrarem no meu coração, mais ou menos depois de ‘The Son. E hoje o Luke já é tipo o novo Matt, olha só.

Quatro temporadas depois, o saldo de Friday Night Lights é bastante positivo. Mesmo com os problemas (greve, audiência), a série conseguiu se manter, e até mesmo melhorar o que já era feito. E não dá pra não se apaixonar. A essência da série já é apaixonante. E depois de assistir, o futebol americano nunca mais será o mesmo. Go Panthers! Go Lions!

[Vou me esforçar pra este ser apenas o primeiro de uma série de posts sobre o que eu acompanhei na Mid Season]

persons unknown

11/07/2010 § 1 comentário

estava eu em mais um tedioso domingo, quando descubro que fizeram legenda pro big brother us. então resolvi dar uma conferida. e não é que a coisa é muito divertida!?! é o básico reality-show de convivência. ou seja, intrigas, intrigas e intrigas. pelo menos é isso que eu espero, já que essa edição ainda vai contar com o “sabotador”, alguém que está ali só pra tocar fogo na casa (tipo um russell hantz, survivor). mas claro que ninguém sabe quem é ele, o que deixa tudo mais legal.

os participantes são bem diversificados. não sei o nome de todos ainda, mas gostei da maioria. tem um chato que já se destacou, aquele que mora com a mãe. a bissexual, o professor de natação, o judeu, e a mulher que voltou no lugar da que machucou o joelho, são todos bacanas. a francine do nosso bbb turbinada e ruiva tem uma risada super forçada. a que ganhou os 10 mil tem cara de bitch. e acho que é isso, o restante é apenas ok.

são três episódios por semana, então nem sei se continuo até o fim. mas vou tentar.

Meu Emmy

09/07/2010 § Deixe um comentário

AND THE EMMY GOES TO:

Série Drama – Breaking Bad

Elenco Drama – Mad Men

Ator Drama – Matthew Fox, Lost

Atriz Drama – Connie Britton, Friday Night Lights

Ator Coadjuvante Drama – Aaron Paul, Breaking Bad

Atriz Coadjuvante Drama – Rose Byrne, Damages

Ator Convidado Drama – John Lithgow, Dexter

Atriz Convidada Drama – Elizabeth Mitchell, Lost

Série Comédia – Modern Family

Elenco Comédia – Modern Family

Ator Comédia – Alec Baldwin, 30 Rock

Atriz Comédia – Amy Poehler, Parks and Recreation

Ator Coadjuvante Comédia – Ty Burrell, Modern Family

Atriz Coadjuvante Comédia – Jane Lynch, Glee

Ator Convidado Comédia – (os universitários escolhem)

Atriz Convidada Comédia – Christine Baranski, The Big Bang Theory

Lembrando que isso é o MEU emmy. E consecutivamente, as minhas torcidas para o real prêmio.

Faltou muita gente nas indicações, mas estou com preguiça de ficar reclamando. Até porque depois de indicarem o Chris Colfer, e deixarem de fora o Nick Offerman, não tem muito o que falar.

(lista completa com os indicados: http://tinyurl.com/278tgr3)

as melhores músicas de glee – parte 2

12/06/2010 § 5 Comentários

foi díficil escolher só essas 10. essa segunda parte de glee foi superior a primeira no quesito musical. sofri ao deixar muitas músicas de fora. e sofri mais ainda ao tentar colocar cada uma em uma posição. então pode considerar as cinco primeiras posições como um só primeiro lugar. e veja logo a lista antes que eu edite e mude alguma coisa.

[a lista da primeira parte tava um pouco mais caprichada, mas tudo bem]

10 – gives you hell

primeiro vício da segunda parte, então merecia estar na lista. passei dias cantando, e ainda não cansei.

09 – one

foram só os fãs de u2 que não gostaram ou foi geral? de qualquer forma, ignoro comparações, e acho essa versão maravilhosa.

08 – over the rainbow

depois de tanta emoção, me colocam essa música pra encerrar a temporada. foi a facada final. é com certeza uma das melhores versões de over the rainbow.

07 – like a prayer

no episódio da madonna eu só esperava like a virgin. mas aí acabou aparecendo essa surpresa. essa versão é tão fantástica que eu até esqueci de pegar like a virgin depois.

06 – total eclipse of the heart

nunca tinha dado muita bola, mas foi eu resolver baixar (um tempo depois dela tocar na série), e não tinha mais como fugir do vício. é inevitável, juro.

05 – faithfully

adorei o cory nessa música (!). e o dueto com a lea é muito bom. e a parte que todos entram na música é demais. e é tudo lindo.

04 – bohemian rhapsody

o personagem do jonathan groff pode ser chato (e é), mas como cantor ele arrebenta.  a música original já é genial, e  a versão ter ficado tão boa assim é um grande ponto positivo.

03 – dream on

ficou foda essa música do aerosmith nas vozes do matthew morrison, e principalmente, na do neil patrick harris. o grito dele no quase-final é de arrepiar.

02 – poker face

lea michele e idina menzel. só isso mesmo.

01 – any way you want it/ lovin’, touchin’, squeezin’

até eu achei meio absurdo coloca-la em primeira lugar, mas vai ser isso mesmo. dá muita vontade de dançar e cantar quando eu escuto ela. e é legal ter duas músicas do journey em primeiro lugar.

pra não passar em branco: lost

30/05/2010 § Deixe um comentário

minha série preferida – e meu primeiro amor na tv – acabou. seis anos depois, minha visão sobre lost mudou bastante. os caminhos que a série tomou a partir da quinta temporada não me agradaram muito, mas no fim, tudo se resolveu. afinal de contas, é o fim. hora de esquecer os erros e vivenciar o momento. e rolhas e luzes a parte, foi tudo maravilhoso.

a solução para os flashsideways foi, de certa forma, inevitável. não adianta reclamar disso, porque qualquer que fosse a resposta, muitos não iam gostar. e pensa só se tudo aquilo fosse só uma brincadeira, só um artifício pra mostrar o que teria acontecido se eles não caissem na ilha. seria pior. então todos estarem mortos ali foi o desfecho ideal pra mim.

personagens antigos voltaram, todos se reencontram, hurley e ben foram os novos jacob e richard, jack salvou a ilha, locke capeta morreu, swayer e sua turma sairam da ilha, e fim. precisava de mais alguma coisa? sim, vincent. e ele apareceu. e participou de uma das cenas mais lindas que eu já vi na vida.

entendo quem não gostou, e isso faz parte da vida. mas sério que alguém ainda esperou alguma coisa diferente a essa altura do campeonato? quando tudo estava ao redor dos irmãos, da luz, e de toda essa mitologia, alguém realmente esperava que isso fosse deixado pra trás logo no final? que pena.

“everyone dies sometime, kiddo. some of them before you, some… long after you”.

Breaking Bad (3×01) – No Mas

22/03/2010 § Deixe um comentário

*com spoilers

Uma das melhores a melhor séries no ar hoje, está finalmente de volta! E retornamos de onde paramos. Agora os personagens lidam com as consequências de todos os acontecimentos, e tentam seguir em frente. Tentam.

Os notíciarios já comentam sobre a queda do avião. E como bem sabemos, este acidente está ligado indiretamente a Walter, que parece saber disso, mesmo não admitindo (a cena do ginásio reflete esta situação). Além de enfrentar esta “culpa”, ele agora vê sua família ser destruída. Skyler o manda pra fora de casa, descobre sobre o trabalho com as drogas, e ainda exige a separação. Tudo de uma só vez. Percebendo os rumos que sua vida anda tomando, ele decide “parar com as drogas”.

Enquanto isso, Jesse entra em uma reabilitação, tentando enfrentar a perda de Jane. As cenas ali foram simples e belas,  enfatizando os sentimentos do personagem. Mas não posso deixar de citar uma bastante marcante,  a  que o conselheiro conta sobre como matou sua filha. Enfim Jesse sai da clínica, agora com uma nova perspectiva: aceitar quem realmente é. E como o próprio diz: “eu aceito quem eu sou. Eu sou o cara mau”.

Em meio a todos esses conflitos, nasce um maior ainda, o que promete ser o fator que dará uma imensa balançada na vida de Walter e Jesse:  “os primos”. Parecem estar atrás de Walter, já que a foto dele estava na capela que os dois visitaram. E falando nela…aquela santa que estava lá dentro, é a Santa Muerte. De acordo com o Wikipedia, “aqueles que para ela oram procuram recuperação da saúde, itens roubados ou entes familiares sequestrados”.

Breaking Bad voltou em forma. O trabalho técnico da série continua impecável. Destaco a fotografia e a direção (que  aqui foi do próprio Bryan Cranston). O que vem pela frente, não sei. Mas confio plenamente no Vince Gilligan, e fico tranquilo em relação ao futuro da série. Basta ver o passado pra saber que ele sabe o que faz.

Onde estou?

Você está navegando atualmente a Sem categoria categoria em séries.com.