Rápido e direto!

15/11/2009 § Deixe um comentário

Family Guy retornou depois de um bom tempo, com 2 episódios. Valeu a pena, né. O quarto começou divertido, mas foi ficando chatinho ao decorrer do tempo. Brian e seus relacionamentos amorosos não é algo tão divertido assim. E como o destaque foi praticamente dele, ficou tudo meio morno. Tirando a homenagem a Patrick Swayze, com o Peter golpeando tudo a sua frente, só algumas coisinhas foram consideráveis.

Já o quinto: simplesmente fantástico. Brian e Stewie juntos, como não gostar?! E ainda dividindo as atenções com o Peter. Ou seja, equilíbrio perfeito. Este episódio será memorável. Tivemos o famoso Evil Monkey saindo do armário para viver com a família. E do outro lado, uma zoação hilária com Miley Cyrus. Muitas cenas divertidas, e ótimos momentos, como a referência a King Kong. E de acordo com Family Guy, Hanna Montana é um andróide. Amazing!

—–

O sexto episódio de Fringe foi chato e dispensável. Nem tenho muito o que falar. O caso da semana foi fraco, o andamento da investigação foi um tédio, e simplesmente não empolgou toda a história do cosmonauta. Enquanto o sétimo, pode entrar no top episódios da série. Estava tudo excelente. Uma criança vilã. Uma história envolvente. Cenas bacanas, e uma pitada de mistérios da storyline principal. Foi surpresa o garoto estar controlando as pessoas? Não. Mas me surpreendi ao ver que ele estava armando tudo. Pensei que seria o velho clichê da “criança com poderes que é usada por caras maus”. Com certeza redimiu o nível do episódio anterior. Muito bom!

—–

Crítico e tocante. Um bom resumo para o 1×09 de Glee. Focado no Artie, o episódio mostrou um pouco da dificuldade enfrentada por cadeirantes. E a lição de moral não veio só daí. Sue Sylvester, quem diria, tem coração! Ela chamou uma deficiente para ser a nova integrante do Cheerios. No final, descobrimos que a professora tem uma irmã com esse mesmo problema. Foi incrível a maneira como trataram dos temas. Tivemos ainda Puck e Finn em conflito por causa do filho da Quinn. E Kurt disputando uma música, e mostrando ter uma bela relação com o seu pai. Pra mim, o problema foram os musicais. Não foram ruins, mas tirando a apresentação final, o brilho está mais fraco. Ainda assim, Glee continua com sua essência divertida.

—–

Os dois últimos episódios de Gossip Girl foram até aceitáveis. Minto, porque o último foi muito bom! Vamos lá. O oitavo envolveu a eleição que Tripp Van Der Bilt concorria. Foi aquela coisa de escândalos políticos, sabe. Mas todo mundo que assiste a série gosta dessas intriguinhas. E esse foi o ponto considerável do episódio. Junto com a Blair enfiando a cara no bolo. Pastelão, mas divertido. Ahh, e que tal dar uma sumida no Nate? Jurooo, nem vou notar.

O nono foi super digno de primeira temporada. E isto é pra comemorar, considerando o nível que a série vem mantendo. Mas então…tava todo mundo bitch! Jenny tentando arranjar um bom partido para o baile. Eric querendo parar a Jenny. E a Blair se intrometendo para “proteger” o seu legado. Foram muitas reviravoltas, e todas regadas a golpes teens. Eles fizeram o episódio ser o que foi. O Threesome não foi nada, em comparação. E olha que eu não me decepcionei como a maioria. A burrice foi da CW de divulgar aquilo como um threesome propriamente dito. Pois então, GG finalmente fez algo para chamar de BOM!

—–

How I Met Your Mother teve dois ótimos episódios. O sexto foi um duelo de casais. Lilly e Marshal são conhecidos por serem perfeitinhos, mas começaram a brigar. Enquanto Robin e Barney, são conhecidos por serem saidinhos, viraram o casal exemplo. E a série conseguiu conduzir tudo isso muito bem. Momentos impagáveis, como o Barney e a Robin não tendo pra onde escapar ao iniciarem uma briga, provam que HIMYM consegue ser divertida e “deliciosa” ao mesmo tempo.

O sétimo então, foi fantástico! Memorável, também. Afinal de contas, marcou o término do relacionamento do Barney com a Robin. Amo os dois, mas nem vou ligar se eles não voltarem. Eles foram se destruindo aos poucos. Foi hilário o Barney gordo, e a Robin estressadíssima. E a Lilly armando para separa-los com a ajuda das “maiores brigas”, foi impagável. Não tem como falar mais. Foi muito bom, meesmo. Vamos ver qual o rumo a série tomará, já que perdeu um casal bastante querido pelo público. Agora: Daddy’ Home!

—–

O que acontece com The Big Bang Theory, hein? A série não é mais a mesma. A temporada até agora está bem medíocre. Sheldon, meu ídolo, as vezes me cansa mentalmente. Assim, o sexto episódio foi legal. Leonard tentando aprender sobre futebol. Sheldon mostrando saber sobre futebol (!). Enquanto Raj e Howard vão aparentando cada vez mais ser um casal. Essa é a graça do negócio. O problema que eu vejo são as tramas inventadas. Estão fracas.

O sétimo melhorou um pouco. Foi centrado no Sheldon, fato que proporcionou os melhores episódios da segunda temporada, vamos confessar. O nerd mais nerd do universo tem um trauma de infância que o deixa nervoso ao presenciar uma briga. E o episódio todo foi cercado de conflitos. Penny com Leonard por causa de um hospéde da loira, e Raj com Howard por causa do “relacionamento” deles. Sheldon definitivamente me puniu por dizer que as vezes ele cansa. Já disse, e repito: as caras de Jim Parsons são hilárias. Ainda assim, espero umas tramas mais divertidas.

—–

Agora as coisas serão assim: rápidas e diretas. Claro que tentarei escrever textos de verdade, mas enquanto isso, vai sendo esses mini-comentários chupados aí. Se já me atraso com as séries, com os comentários então, é pior ainda. São tempos díficeis, meus caros!

A estréia de White Collar, e os comentários atrasados

01/11/2009 § 3 Comentários

White Collar chegou ultrapassando as minhas expectativas. A história do golpista que passa a ajudar um agente do FBI a resolver casos, é envolvente e interessante. Matthew Bomer e Tim DeKay são ótimos, e possuem uma química considerável. Eles seguram a série sozinhos. Mas a esposa do Peter e o amigo do Neal auxiliam super bem na trama. E no episódio piloto, tivemos o caso do Holândes. Muito bacana o desenvolvimento dessa história, e melhor ainda foi ver a habilidade e a inteligência do Neal em tratar do caso. Não achei a duração (59:00) um problema, mas espero que os próximos sejam menores. Ficou como um cliffhanger, a busca do Neal pelo seu amor, o que com certeza será mostrado futuramente. Todo mundo deve ver ao menos o piloto. È quase que obrigatório para fãs de Burn Notice. Faz uma coisa, baixe e confira. Porque White Collar é muito cool!

Cougar Town continua na mesma. Juro que não consigo dar uma risada sequer com a série. Porém dá pra ficar com um sorrisinho na cara em alguns momentos. Antes de mais nada, é, eu voltei a acompanha-la. Tinha desistido, mas saber que futuramente teremos Lisa Kudrow participando, é de fazer qualquer um voltar atrás. Enfim. O quinto episódio foi bem ruim. Disseram que os homens tinham salvado, mas nem deles consegui gostar. Enquanto no sexto, as coisas ficaram mais agradáveis. As situações envolvendo o término do namoro foram engraçadinhas. Ellie, Travis e Andy! Esses são os personagens que me confortam. E devo dizer que acho a Barb hilária também, mesmo aparecendo bem pouco. Enquanto a série estiver ao menos assistível, estarei acompanhando. Fugiu da linha, recaída já!

O maior problema de Flash Forward comigo, é não me instigar tanto a ponto de querer ver os episódios. E olha que se tem uma coisa que a série sabe fazer é um cliffhanger decente. É sempre assim, um episódio arrastado e um final abre boca. Mas isso já está cansando. Não fico com vontade de assistir, mas quando assisto, até gosto. È complicado minha relação com a série. O quinto episódio eu demorei a ver, mas não foi tãao ruim. Ok, teve o tiroteio mais ridículo ever, porém a trama política me deixou mais a vontade. Agora o sexto me convenceu. Afinal de contas, tivemos Simon (aka Charlie Pace)! E ainda Dylan cute todo desorientado, furos nos flashforwards (isso é ruim ok), futura grávida “sem” útero (!), e a possível descoberta da causa do blackout. Não foi aqueela coisa, mas foi um up legal. Ainda assim a série precisa se firmar, porque desse jeito, não dá. Só uma última coisa: já deu toda essa comparação com Lost, não!? ¬¬

Nem o 8 de Glee eu comentei, né. Pois bem, ele não foi lá essas coisas, mas ainda assim divertiu. Rachel e Puck tem uma química, e se não fosse aquele maldito cabelo dele, acharia o casal fofinho. Will e Emma sim são maravilhosos juntos. Não tem como não torcer por eles. Enquanto isso, Quinn e Finn vão perdendo poder na escola. A garota é até demitida do grupo de cheerleaders. Não fugindo do assunto casal, ainda temos a Sue apaixonada. Tipo, isso não teve preço né! Foi coisa rápida, mas sensacional. Em meio a raspadinhas na cara de todo mundo, o episódio andou lento, e não consegui pegar o brilho que tínhamos nos anteriores. E vamos confessar: as músicas caíram de nível! Madonna será a salvação?

È chato você olhar pra uma série e ver que mesmo depois de 7 episódios, as coisas continuam paradas. Dá pra assistir, algumas tramas são bacaninhas, mas no geral, Gossip Girl não anda. E olha que eu nem odiei esses dois últimos como os iniciais. Na verdade, o sexto foi até bom. Foi de um certo modo, muito filler, mas neste momento, nem sei se a série tem uma “trama central”,  então nem liguei. E olha que o beijo gay foi a coisa mais desprezível em meio a todas as intrigas e disputas por um discurso. Já o sétimo, foi digamos assim, legal. Acho que pela primeira vez eu gostei mais da Serena do que da Blair. A Bass Girl na verdade estava bem apagada na minha mente. E Jenny voltando da forma mais teen possível, hein. E o Rufus vestido de Joey Ramone. E a Lady Gaga mirim minha gente! Vou confessar: até que está dando pra aturar tudo isso.

Quem diria que Derek Shepherd poderia fazer um episódio ser tão excelente como este. Uma cirurgia, um só foco, muitos personagens menosprezados, e ainda assim as coisas andaram super bem em Grey’s Anatomy. Poderia dizer que ele construiu toda a trama sozinho. Cristina, Lexie e o Dr. Avery só estavam lá como apoio. Enquanto o Richard só servia para encher o saco. McDreamy para chefe, peloamordedeus! A história das fraldas foi muito boa. E sério, já tá dando nos nervos ver a Cristina sem rumo. Médico para cardio, cadê? Deslocado, Alex estava todo chato. Entendo o sofrimento por causa da Izzie, mas ah vai lá, eu já não gosto dele. Falando nisso, senti falta da loirinha. Sério! Meredith está de cama, e ainda assim convence. Não sei quando eu passei a gostar tanto dela, mas é, eu gosto. Então, Grey’s está arrebentando. Temporada quase impecável.

How I Met Your Mother da semana retrasada (!) foi ótimo. Duas tramas, e as duas estavam divertidas. Robin viveu o dilema da nacionalidade, e teve a ajuda de Barney. Claro que não ia dar em coisa boa. Novamente implicando com o Canadá, o Barney apanhando na lanchonete foi ótimo. Do outro lado, melhor ainda, Ted e Marshall viajam para Chicago comer uma pizza como faziam antigamente. Mãaas, agora tem o fator Lilly né. Ela querendo fazer xixi toda hora foi sensacional. Assim, a série está no ponto. Humor delicioso. E olha que ainda tem muita novidade vindo pela frente né (Rachel!).

Vou ser direto com Modern Family, porque quero falar mesmo é do sexto. O 1×05 foi bom, e foi totalmente das mulheres. Claire e Sofia arrebentaram, e as suas interpretes também são muito boas. A cena da piscina foi tão harmoniosa. Ai, queria estar nessa família moderna. Mas então, vamos logo para o sexto. Fazia tempos que eu não ria tanto com um episódio em qualquer série. Foi perfeito! Haley aprendendo a dirigir, Phill sendo atropelado, dando seus depoimentos, e a cena final. Lilly batendo a cabeça, as fotos,  Cameron falando com a doutura, ele tentando quebrar o vidro do carro. Manny de poncho, a Gloria mandando o Jay pisar na flauta, e o depoimento dela. Tive que citar tudo isso, porque basicamente TUDO isso me fez rir muuuito. Foi impressionante. Amo Modern Family mais ainda depois de um episódio como esse.

A temporada de The Big Bang Theory está boa, mas dá pra melhorar. Esse episódio foi engraçado em ambos os núcleos. Porém bateu um cansaço. Sheldon me cansando é sinal de apocalipse. Mas foi passageiro. Ele disputando o campeonato foi bacana. E a parceria com o Raj continua rendendo. Enquanto isso, Penny e Leonard estão cada vez mais juntos…com o Howard. Encontro de casais. Adorei o nerd esquisito com aquela mulher. Esse início não está convencendo tanto como na temporada passada. Está certo que é idiota compara-las ainda, mas mesmo assim, eles provaram que conseguem fazer bonito, então queremos mais.

Episódios em Série – A Semana Passada [2]

21/10/2009 § 1 comentário

Grey’s Anatomy (5×05 – Invasion) : O acontecimento mais esperado até agora chegou causando polêmica. Quem gostou do pessoal  do Mercy West!? Difícil achar alguém. Mas isso talvez torne a chegada deles boa. São odiados por quase todos, oras. Um dos problemas foi a confusão no hospital. Era muita gente! Quem se destacou pra mim foi a Callie e a Arizona. Lindinhas. E a Lexie com a garota do caderno também foi interessante. Apesar de não estar tão boa no episódio, a cena da Cristina com a Meredith foi óotima. Lembro dela chorando daquele jeito só depois do não-casamento com o Burke (que foi citado). Só peço que essa fusão com o Mercy West não dure a temporada toda. peloamordedeus!

Vampire Diaries (1×06 – Lost Girls) : A série está muito boa! Não imaginava um dia dizer isso, ainda mais tão cedo. Mas sim, estou bastante envolvido na trama dos vampiros de Mystic Falls. Os flashbacks foram bem bacanas. A Elena descobrir sobre o Stefan foi muito bom. Deu uma balançada legal na relação dos dois. E a Vicki virou mesmo uma vampira, né. Arranjaram uma ótima saída pra personagem ficar mais interessante. Aquela cena final foi bem lindinha, né! Não canso de ouvir a música. Mas então, VD está seguindo uma linha bem superior ao imaginado. Corvo, who!?

Fringe (2×05 – Dream Logic) : Sem dúvida alguma Fringe está tendo uma das temporadas mais consistentes da atualidade. Este episódio foi muito bom, totalmente aceitável no ritmo que a série vem mantendo. Confesso que até fiquei surpreso. Imaginei que fossem cair no óbvio de colocar o assistente como o culpado, mas não. Outra coisa legal foi a própria base para o episódio: sonhos. E por fim, Walter e Peter novamente mostrando que tem muita coisa obscura no passado deles. Vou amando tudo, e não tenho praticamente nada a reclamar que possa influenciar na qualidade da série. GO LIV!

Flash Forward (1×04 – Black Swan) : Não estou mais tão empolgado com a série. Simplesmente porque eu percebi que as coisas estão na mesma, a trama está lenta, e nem é tão envolvente assim. A cena inicial foi magnífica. Mas depois disso também, foi a mesma lenga lenga. A única parte que me intrigou foi a do cara do ônibus, e um pouco da parte da Nicole. No geral a série está abaixo do esperado, com umas revelações meio…chatas. Vamos ver se depois daquele final onde o eterno Charlie Pace aparece, as coisas ficam melhores. Um up urgente por favor. E explorem flashforwards alheios, que pode ser mais interessante que o Mark e seu espírito de salvador #dica.

Smallville (9×04 – Echo) : Não vou reclamar porque não espero nada mais do que uma história boa o bastante para ser acompanhada. Pra mim o episódi foi bom, e a temporada está na medida. Gosto do Toyman, e como estou total livre de spoilers, não imaginava que ele fosse aparecer de novo. O que é esse poder do Clark, hein!? Aquele efeito mostrando que ele estava lendo as mentes era chaaato. Vamos voltar a ser o Arqueiro Verde, Oliver!? Porque você tá um tanto insuportável. Continuem assim e encerrem direito logo a jornada do Superman. Só isso que eu quero.

Trauma (1×02 – All’s Fair) : Incrivelmente superior ao piloto. Aquele roteiro fraco e casos desinteressantes foram deixados para trás. Desta vez foram diversas histórias, todas bem bacanas, e ainda com o lado pessoal dos paramédicos dando cobertura. Colocar duas crianças em um episódio é sacanagem, né!? Muito cute aquele garotinho. E o outro foi super emocionante conversando com a mãe na cama. E ainda tivemos o bandido que levou um tiro, o velho “safado”, e o homem da perna (doeu em mim, ok). Muito mais maduro, esse episódio me fez ficar esperando ansioso pelo próximo.

Episódios em Série – A Semana Passada [1]

20/10/2009 § 2 Comentários

È de se assustar mesmo. Estava mega atrasado com a séries, portanto não escrevi nada no blog. A culpa é de Survivor Cook Island, ok. Mas entãao. Agora já estou em dia com tudo, e só falta comentar. São muitos textos – porém menores -, então os dividirei em duas partes. Amanhã posto a segunda. Bora logo comentar algumas séries então!

Family Guy (8×03 – Spies Reminiscent of Us) : Mais um bom episódio do desenho mais cool da televisão. A trama não foi lá grandes coisas, mas tivemos várias cenas distintas simplesmente hilárias. Um dos problemas também foram as piadas internas, devido a participação de Chevy Chase e Dan Aykroyd. Todos os momentos envolvendo o Stewie, e a insistência do Peter em manter a mesma piada, roubaram a cena. E não tem como negar, mesmo com esse episódio mais ameno, Family Guy mantém uma das melhores temporadas atualmente.

The Big Bang Theory (3×04 – The Pirate Solution) : No geral foi um episódio fraco. Sim, Sheldon e Raj divertiram muuito. Os dois mostraram ter uma bela química em cena, apresentando momentos ótimos (“Foor me”). Mas não dá pra fazer um episódio tão solto como esse. Equilíbrio é algo que TBBT sabe fazer, mas não fez. Do outro lado tivemos Leonard e Penny não incomodando muito, mas totalmente deslocados. O Howard fazendo o sofredor sim foi ótimo. Agora vamos ver se a parceria Sheldon/Raj se manterá por muito tempo.

How I Met Your Mother (5×04 – The Sexless Innkeeper) : Nem foi divertido esse episódio, né?! Claaaro que foi. Essa temporada está tão deliciosa, ótima de acompanhar. E quando temos o foco direto nos digamos, 4 melhores personagens da série (sorry Ted!), é garantia de qualidade. A Lilly e o Marshal obsessivos estavam hilários, e o Barney e a Robin arrependidos então, maravilhosos. Só o Ted que andou por fora, mas nem atrapalhou. E devo dizer que o destaque do dia foi para o Marshall (principalmente pela cena do gato). E a cena final foi legen…wait for it…daaaary!

Gossip Girl (3×05 – Rufus Getting Married) : Pelo nível da temporada esse episódio foi muito bom, mas não achei tanta coisa assim não. Georgina já foi melhor em planos para revelações, né (Eric gay, oi?). E foi a coisa mais imbecil a maneira dela de deixar a série. Ainda não acredito. Mas tá, vou poupar falar dos mesmos erros idiotas da série. Os momentos anti-casamento (que não aconteceu) foram bem legais, e a Jenny bitch por um instante me satisfez. Mas por favor, vamos dar um up nessa série. Será que o beijo gay vai conseguir este fato?

Cougar Town (1×04 – I Won’t Back Down) : Encerro aqui a minha jornada com CT. Este foi o melhor episódio até agora, mas prefiro poupar qualquer acontecimento futuro. A personagem da Jules continua me irritando um pouquinho. O ex-marido dela continuaa sendo ridículo. E a Ellie ainda é a personagem mais atraente. O diferencial foi uma reduzida considerável de cenas vergonha alheia. E a trama também estava mais divertida. Os momentos do vídeo de sexo foram bem engraçados. Mas mesmo assim, Courtney Cox agora só nas reprises de Friends.

Glee (1×07 – Throwdown) : A mesma fita de sempre: Glee continua divertidíssima. Sue Sylvester (a nova Chuck Norris) merece o reconhecimento, pois é com certeza uma das melhores personagens da série. Mas ela não carregou o episódio sozinho. Odiada por muitos, a Terri também esteve ótima. Fico com raiva pelo Will ser tão idiota em relação ao bêbê, mas ok. E a Quinn hein, não me ganhou ainda. Sou totalmente #teamrachel meus caros. Vários momentos incríveis, musicais bons (mas depois do 5° a coisa caiu, vamos combinar), e uma história excelente. Isto é Glee!

Modern Family (1×04 – The Incident) : E eis que MF se consagra como a melhor estréia da temporada (calma, Glee é páreo a páreo). Quem não assiste, corre logo pra baixar os episódios, porque vocês vão se arrepender quando a série estiver no auge ganhando prêmios. Pra quem a gente dá o destaque? È todo mundo bom, oras. Até mesmo um personagem infantil como o Manny consegue ser excelente.  A participação da Shelley Long foi muito boa. Mas nadaa supera a já famosa música do Dylan. Foi HILÁRIO! Um novo humor de qualidade, minha gente.

Episódios em Série – Mercy, Fringe, Grey’s Anatomy, e Smallville

13/10/2009 § 3 Comentários

MERC

Mercy (1×03) – Hope You’re Good, Smiley Face

O melhor episódio até agora, sem sombra de dúvidas. Se no anterior eu fiquei com um pé atrás em relação a série, agora voltei com a opinião de que esta é minha nova fofuxisse da temporada. Òtimo aquele início anunciando um “code black”. Veronica é uma protagonista perfeita. Problemas no amor, traumas de um acontecimento, experiente na profissão, e ainda é dona de uma personalidade forte. A trama da garota sobrevivente ao acidente da boate foi muito boa.

Porém, mais uma vez quem saiu na frente foi a Chloe. Pode ser meu amor a Michelle Trachtenberg falando, mas ela é a personagem mais divertida da série. Adorei a cena do guaxinim. E foi ótimo a busca dela pela vacina contra a raiva. E por fim, temos a Sonia. A personagem é boa, mas as tramas dela são fracas. Até que foi legal a história com aquela médica, mas ela sempre é a mais fraca dos episódios. Dá pra melhorar, hein.

Episódio lindinho, com todas as histórias amarradas, cenas ótimas, trilha bacana, e atuações convincentes. Não tenho nada concreto a reclamar. Espero que a série continue nesse ritmo, que está de bom tamanho. E claro, garanta bons números para não ser cancelada.

Fringe (2×04) – Momentum Deferred

Em pleno quarto episódio, já temos total dedicação para desenvolver a trama central da série. Isto é ou não um fato incrível!?  “Momentum Deferred”
foi todo baseado na storyline que dá vida a Fringe. Vou confessar que não achei perfeito, mas o risco que os produtores correram em jogar tantas revelações logo no começo, fez valer mais a pena. Se é medo de cancelamento eu não sei, mas que ver o William Bell agora foi bom, ahh foi.

O início estava meio entediante, mas quando eu reparei que não tínhamos um certo “caso da semana”, fiquei surpreso. E aos poucos a tensão foi aumentando, até chegar no momento que a Olivia encontra o William. Os dois mundos podem sofrer uma colisão e só um sobreviverá!? WTF! E a busca pela cabeça com o tal símbolo que foi tensa. Aquela cena final foi arrepiante.

“Charlie, espancar a Olivia não pode ok. Tem que morrer por isso”. Tudo bem, tecnicamente ele já estava morto. Mas deu muita dó ver a Liv apanhando daquele jeito. Juro que até gritei pro maldito parar. Mas entãaao…episódio chocante, eletrizante e revelador. Fringe está tendo um dos melhores começos de temporada dentre todas as outras séries. E eu nunca imaginaria que isso fosse acontecer. Ponto para JJ Abrams e cia!

Grey’s Anatomy (6×04) – Tainted Obligation

Por enquanto o Seattle Grace também vai indo muito bem. Este episódio mesclou todos os elementos característicos da série, como quase sempre. Deixou só um pouco a desejar no ritmo da história. Eu nunca gostei do Thatcher, mas o lado dele foi salvo pelas suas filhas, que estavam ótimas. Callie está meio apagadinha, e só agora parece que ela voltará. Cristina desesperada atrás de cirurgia foi muito bom, principalmente quando ela foi parar em um implante peniano e…fez seu trabalho. Ela é a melhor cirurgiã dali, né gente!

Desculpa ter que voltar no passado, mas a Izzie funcionava muito mais há algumas temporadas  com o George. E não falo isso por causa daquele cabelinho estrela de rock machona dos anos 80. È porque ela já perdeu o brilho que tinha mesmo. Nem a emoçãozinha ao redor da morte do paciente convenceu. Totalmente ao contrário do Alex, que me divertiu bastante com sua implicância. Não canso de rever a cena inicial. Simplesmente hilária!

Alguns detalhes básicos roubaram um pouco do otimismo deste episódio, mas nada que o torne ruim. Afinal de contas, foi ótimo. E vamos seguindo em frente porque estamos cada vez mais perto da chegada dos médicos do Mercy West. E é aí que a coisa tende a ficar melhor. Não vejo a hora de ver a confusão que tomará conta daquele lugar.

Smallville (9×03) – Rabid

Quando eu bem pensava que esse seria um episódio total filler, descubro que estava errado. Pois então, se queriam fazer uma trama com zumbis, poderiam ter explorado mais isso né. Quer dizer, seria bem melhor se tivéssemos visto um ataque a cidade, não!? As câmeras só mostraram o ataque a mansão Luthor e ao Planeta Diário. Mas dá pra relever quando temos uma Tess Mercer metendo a espada nos bichos.

Dois personagens que já caíram no meu conceito: Chloe e Oliver. A “Severino” da história já enxeu o saco. Até que eu ficarei triste por considerar toda sua trajetória, mas se a visão da Lois for real, vai ser bom a loirinha nerd encerrar sua jornada. Espero que seja digna pelo menos. E enquanto ao Oliver, bem, a gente gosta é do Arqueiro Verde né!? E aí ele vai e queima sua roupa de herói, no melhor estilo Peter Parker de ser. Aiaiai.

Já falei que sou Clois até a morte!? Pois então, fiquei todo feliz na cena da chuva. Clark e Lois são lindos juntos, mas muito mesmo. E foram um dos pontos altos do episódio. Que foi freak e trash, porém ótimo. Não vou esquecer do Zod. Bem, eu estava mais empolgado com ele, viu. Vamos dar uma animadinha na história aê, Sr. Fodão. No mais, Smallville tá morna, mas em um nível aceitável para a série.

Episódios em Série – Flash Forward + Vampire Diaries

11/10/2009 § 3 Comentários

Flash Forward (1×03) – 137 Sekunden

Flash Forward está andando em um ritmo bastante agradável. A trama vai sendo guiada perfeitamente. Foram 3 episódios, e muitos mistérios apresentados. Claro que isso pode vir a ser um problema, Lost já vivenciou isso. Mas uma hora teremos as respostas, é só relaxar e entrar de cabeça neste universo fantástico.

A trama do “ex-nazista” foi um pouco chata. O personagem já estava enchendo o saco, e sinceramente, não fiquei nada empolgado com o flashforward dele. O único ponto que ele acrescentou foi o do extermínio dos corvos. Interessante a descoberta de que um blackout já pode ter acontecido. Confuso, também.

Demetri é o personagem que mais me intriga. Se ele morrer mesmo, vai ser lamentável. O que deixou todo mundo coçando a cabeça foi o flash que a Zoey teve: eles estavam casando em uma praia. Alguém viu ele ali!? Eu não. Mas ela diz que viu. Agora como ele morre em um flash e se casa no outro?! Mais e mais perguntas.

Por mais que a história seja intrigante, Aaron não me convence. Sua filha morreu mas ele a viu no flash. Eaí!? È só esperar 6 meses e ver se ela estará viva ou não. Esta é a única história que não me deixa nem um pouco a fim de  querer saber mais. E achei a ex-esposa dele muito arrogante. Só pra concretizar que nada desta trama me faz bem.

O episódio foi bom, mas não tão interessante. Aquele final foi bem nada a ver (até agora). Não tivemos a menininha dos segredos, Olivia e seu futuro marido, o cara do estádio, D. Gibbons, e coisas tão mirabolantes. Mas eu estou gostando até o momento, e se não jogarem taantas dúvidas na nossa cara, pode nascer uma série extraordinária.

Vampire Diaries (1×05) – You’re Undead to Me

5 episódios depois a série vem pra dizer a que veio. Porque foi só agora que vi o potencial que Vampire Diaries tem. E isso não é ironia. Gostei mesmo desse episódio. Os defeitos ainda existem e muito. Mas meio que já acostumei com eles. E agora são as qualidades que vão se mostrando. E tivemos muuita coisa boa, a ponto de dizer que VD não decepcionou nem um pouco.

Stefan é um ótimo personagem, e mesmo cometendo algumas burrices, eu gosto dele. A Elena não me incomodou nada, um milagre. A relação dos dois também está indo muito bem. Outra que não me irritou tanto foi a Bonnie. Continua tosco, mas é só melhorar as carinhas dela que pode melhorar. Mas é a trama dos vampiros que vai se superando a cada dia.

O Corvo se foi! Quase chorei no momento que vi ele todo destruído. Merece um enterro digno. Você brilhou Corvo! Mas entãao. Eu odeio a Vicki. Que garota insuportável dos infernos. Já disse que gosto do Jeremy!? Pois é, ele não merece essa porta. E ela ter sido mordida pelo Damon de novo, me lembrou que Mystic Falls é realmente pequena. Putamerda, 2 vezes!

Falando em Damon, ele se libertou. Suuper novidade, né! È esse o maior defeito que eu vejo. O personagem sempre vai ser um vai e volta. Ou vão matar um dos protagonistas assim no começo!? Podiam mesmo. Mas vamos combinar que foi ótimo ele ter matado o Zach, né. Putacaraidiota. Sério, ele era muito bunda. E a morte do dia foi do Corvo, nem vem.

Tirando os ódios a parte, este foi o melhor episódio até agora. Foi um ótimo equilíbrio entre as tramas. E aquele finalzinho foi bem legal. Quero que a Elena descubra. Assim acabam as chances dela ter algum rolo com o Damon. Só que acho que isso não vai acontecer. Mas mesmo assim estou ansioso pelo próximo. Vampire Diaries me empolgando de verdade, quem diria.

Os pesos pesados de quinta, e o herói da sexta

04/10/2009 § 1 comentário

Flash Forward (1×02) – White to Play

A série continua mostrando seu potencial, sabendo prender o telespectador a uma trama que até um tempo atrás, eu diria que seria complicado desenvolver. O episódio foi inferior ao primeiro, mas não deixou de ser empolgante. Tivemos menininha misteriosa, futuros namorados se conhecendo, destinos revelados, e novas identidades descobertas. E o melhor é que tudo isso deixa um ar de mistério incrível, e bastante promissor.

A relação do Mark com a Olivia vai sendo abalada justamente pela dúvida, de quem sabe uma futura traição. E além disso ainda tem a filha do casal, que começa a virar aquelas garotinhas sombrias que escondem segredos. Foi cool ela reconhecendo o filho do Lloyd. E este, já conheceu a Olivia (sua futura namorada). Essa trama está tão interessante. Acho que já se pode ver que a morte da mãe do garoto vai ajudar a união do casal, né mesmo!?

Descobrimos que mais alguém estava acordado no blackout. Foi muito foda a cena na “fábrica de bonecas”. E o telefonema ao Demetri hein. Quer dizer que ele vai mesmo morrer. Nada confirmado, porque estamos falando da nova série mór mistério da tv. Tudo pode mudar. E estou bastante ansioso pra ver essas reviravoltas. Ah, e cadê o Charlie rockstar!? Acho taanto que ele é o carinho do estádio. Vamos ver né! Próooximo.

Grey’s Anatomy (6×03) – I Always Feel Like Somebody’s Watchin’ Me

Que episódio bom! Melhor que a segunda parte da premiere, sem sombra de dúvida. Os personagens estavam todos no tom certo, com tramas boas, e apresentando aquela sintonia perfeita. Drama, comédia e fofura na medida certa. O destaque do dia foi a Little Grey cute cute. Muuito linda essa Lexie. Pra quem já amava ela na quarta temporada (eu!), hoje então ela está perfeita. Mas como estamos falando de Grey’s Anatomy, dá pra todo mundo brilhar de uma só vez.

Meredith está tãaao zen. Deveriam aproveitar enquanto a Ellen Pompeo não sai de licença pra focarem na personagem #fikdica. A Izzie com aquela peruca estava muito bom. Melhor do que com aquele cabelo rídiculo de estrela de rock machona. E sabe que eu amei a cena em que o Alex dá o remédio pra ela. Foi tão sincera. Ponto para o casal! Outra trama ótima foi a da Cristina com a Arizona. Minha coreana linda estava excelente como sempre.

Os personagens conseguiram nos manterem focados no episódio, fazendo relevar até mesmo o fato da Callie não ter aparecido tanto. Aquela cena final foi a coisa mais linda do mundo. Momentos como aquele me fazem lembrar como Grey’s me faz feliz. Só pra fechar, dois comentários: o caso do homem esquizofrênico foi ótimo, e não achei digno a demissão da Olivia. Depois de 6 anos, esses médicos ainda conseguem mexer com as nossas emoções. Ainda bem né!

Fringe (2×03) – Fracture

Já estava mais do que na hora da Olivia parar com aquela bengala, né! Eu gostei muito do episódio. Segunda temporada com um saldo bastante positivo até agora. O caso foi muito bom, o Walter estava excelente como sempre, a Olivia super lindinha, e a cena final bem intrigante. Só senti falta do transmorfo, da máquina de escrever, e do mundo paralelo fortalecendo seu lado. E a agente nova também, por onde anda!?

Juro que pensei que o Kirk Acevedo tinha sido demitido, e a nova agente ia ser o novo Charlie daqui pra frente. Porém, nada dela, e muito menos dele. Entãaao, muito foda o caso desta semana. Tinha praticamente toda certeza de que o tal homem de sobretudo com maleta era o Observador. Mas no final das contas estava tudo ligado a ele mesmo. E também ao Walter e o Peter. Mais mistérios pra gente.

Adoro os momentos clímax de todos os episódios da série. São quase todos tensos e eletrizantes. Não entendo aquele cara que está ajudando a Olivia. Agora ela já pode andar normalmente, mas as dores de cabeça começaram. E sabe de uma coisa: cadê a Massive Dynamic!? Está tão diferente os casos não serem ligados a empresa como antigamente. Vou concluir com uma comemoração: a vaca apareceu! #amoela

Smallville (9×02) – Metallo

Eu nem conhecia este vilão na história do Superman. Mas antes de assistir fui lá no google pesquisar. E até que o episódio não fugiu taanto da história real. Era impossível mostrar as verdadeiras origens dele, afinal de contas, Lex Luthor não está mais entre nós. Mas então, este episódio foi bem interessante. A história do Metallo é legal. E ainda por cima tivemos um abuso de Clois que só deus sabe. Isto é bom ok, muito bom!

Vou tentar poupar os defeitos, porque eles são os mesmos desde sempre, então nem compensa repetir. Foi ótima a participação do Brian Austin. A Lois estava ótima, roubando todas as cenas. A Chloe meega figurante. E a Tess aparecendo só pra mostrar que ela é foda e já descobriu alguns segredos dos kandorianos. Ahh, esqueci de falar que o Shelby apareceu. Estava com saudades do “super-cão”.

Agora finalmente o Clark Kent voltou. Já estava chato aquele lenga lenga de “eu preciso cortar relações com todo mundo”. Affe! Por enquanto a série até que está convencendo. Dúvido que seja a última temporada, ainda mais com uma audiência até boa para o dia e horário nos EUA. 10 anos tá bom então, né?! Vamos ver se o Zod dá um up nesta temporada. Foi só por ele que eu voltei com a série, hein. Quero recompensa!

Onde estou?

Você está navegando atualmente a Episódios em série categoria em séries.com.