o fim…

31/08/2010 § Deixe um comentário

e o começo. vou encerrar as atividades deste blog, mas vou tentar continuar no on multiverse. passem lá.

Anúncios

Minha Mid Season: Friday Night Lights

18/08/2010 § Deixe um comentário

Friday Night Lights é a série teen menos teen que já vi. Existem os típicos dramas adolescentes, porém, inseridos com um toque mais realista, e de forma bem mais densa que outras séries. Aliado a um ótimo roteiro, o ponto forte aqui são os personagens. Todos tem uma história boa pra contar. Todos tem algo especial a oferecer. E claro, todos são muito bem interpretados.

Graças a FNL conheci minha nova mãe: Tami Taylor. Se há algum tempo atrás eu era fascinado com Kirsten Cohen, hoje eu tenho essa daqui. É uma das mulheres que mais amo nas séries. E se sozinha ela já fantástica, junto ao marido (Coach Fucking Taylor), a coisa fica melhor ainda. A química é impressionante, os diálogos são bem feitos, e a facilidade que ambos tem de agir como um casal, é totalmente inspirador.

Junto a Tami, meu outro personagem favorito é o Matt. Nenhum outro adolescente na série me conquistou tanto assim. Sua relação com a avó é uma das melhores. E a avó em si já é a coisa mais fofa do mundo. Ele consegue acabar com a chatice da Julie em diversos momentos. E ela só funciona com ele (tem aí a segunda temporada pra provar o quanto a personagem fica irritante). Dos diversos momentos tocantes, pode ter certeza que a maioria tem ele no meio. Enfim, Matt Saracen é a maior perda que a série pôde ter.

Em relação aos outros personagens, cada um marcou de uma forma. Smash, Jason, e Tyra com os seus últimos momentos fantásticos, provavelmente foram os que mais cresceram pessoalmente na série. O Tim vive tendo seus momentos de bom rapaz, mas episódio após episódio, ele só faz cagada e só se ferra. A Lyla era ótima com ele, mas infelizmente eles não deram certo. E o Landry, bem…começa chato, melhora, vai tendo suas horas, mas no final das contas não é grande coisa.

Falando um pouco de temporada por temporada agora. A primeira é a mais bonitinha, perfeitinha, onde todos estão bem, onde as histórias boas acontecem, e onde aprendemos a gostar de cada personagem. A segunda enfraquece com a chatice da Julie, a história da Lyla, mas ganha um pouco com o envolvimento do Landry com a Tyra. E depois da greve, a gente começa a terceira como se nada tivesse acontecido. Landry e Tyra separados, e Lyla e Tim juntos. Mas ainda assim, essa temporada é fantástica. E termina com os dois melhores episódios da série até hoje.

A quarta eu vou dar um parágrafo exclusivo. O que acontece nessa temporada é uma gigantesca reformulação. Novos personagens entrando, antigos saindo. Entram os Lions, saem os Panthers. Este foi de certa forma o grande problema. Perdemos os personagens que nos fizeram amar a série. O que a gente tinha que fazer era aceitar. Uns conseguiram, outros não. Particularmente,  comecei a deixar os novos personagens entrarem no meu coração, mais ou menos depois de ‘The Son. E hoje o Luke já é tipo o novo Matt, olha só.

Quatro temporadas depois, o saldo de Friday Night Lights é bastante positivo. Mesmo com os problemas (greve, audiência), a série conseguiu se manter, e até mesmo melhorar o que já era feito. E não dá pra não se apaixonar. A essência da série já é apaixonante. E depois de assistir, o futebol americano nunca mais será o mesmo. Go Panthers! Go Lions!

[Vou me esforçar pra este ser apenas o primeiro de uma série de posts sobre o que eu acompanhei na Mid Season]

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para agosto, 2010 em séries.com.