Episódios em Série

20/07/2009 § 3 Comentários

10 Things I Hate About You (1×01 – Pilot/1×02 – I Want You To Want Me)

Esta é a série que foi derivada do filme de mesmo nome, estrelado por Heath Ledger e Julie Stiles. O filme virou uma referência cult para os jovens no final da década de 90, e é lembrado até hoje por muitos. Quando a série foi anunciada, fiquei com receio. Pra que diabos iriam refilmar um filme “inimaginavelmente” sem conteúdo para ser prolongado ? Mas depois de assistir aos dois primeiros episódios, meio que mordi a língua. A série não é aquela maravilha, nem mesmo chega aos pés do filme. Mas com uma trama divertida, cercada de citações pops e embalada por uma ótima trilha, dá pra seguir com a série tranquilo.

Os dois episódios foram legais, nada de mais e nada de menos. A personagem da Kat é a melhor, com uma personalidade totalmente diferente dos típicos teens. A atriz também dá uma força e tanto. Bianca, irmã de Kat, consegue até mesmo ser superior a sua personagem do filme. Agora a maior falha é aquele loser mala amigo do Cameron, e o protagonista. Como assim o Patrick Verona de Ledger virou aquilo! È inaceitável. E ainda temos a vilãzinha Chastity, a gordinha Mandella, e o apaixonado Cameron. Ah claro, não posso me esquecer de Walter Stratford, pai das meninas, que é interpretado pelo mesmo e ótimo ator do filme, Larry Miller.

O primeiro episódio foi mais uma apresentação né. Tanto que o segundo foi melhor, com aquela espécie de “correio elegante” e ainda aquele pervetido sexual. Pois bem, estamos no meio da midseason, epóca em que a produção é baixa. Então dá pra acompanhar 10tihay sim, e até mesmo se divertir com a série. São e 20 e poucos minutos de pura leveza, com músiquinhas cools e personagens carismáticos (fora Patrick!). E o melhor : a temporada só terá 10 episódios. Você não tem nada a perder, então trata de dar uma conferida aí ok.

True Blood (2×04 – Shake and Fingerpop)

True Blood continua mantendo um ótimo nível nesta sua segunda temporada, e falo isso mesmo não estando mais super ansioso por um episódio ou mega empolgado na hora de assisti-lo. “Shake and Fingerpop” foi na minha opinião, o melhor episódio da temporada. Tivemos uma festa totalmente alucinante, inovações vampirescas, muito humor, mistérios, e o aviso da guerra que pode se iniciar entre os vampiros e a Companhia do Sol (!).

Já falei e repito que Jason Stackhouse está tendo a melhor trama da série. A evolução e a mudança do personagem está me cativando bastante. E agora ele é um “Soldado do Sol”, coisa que nem nós sabemos o que significa, mas que promete ainda mais, colocar esse lado angelical dele a tona. Já sua irmã Sookie, continua na sua lenga lenga com o Bill. Confesso que estou confiante nesta nova trama dela, ainda mais agora com a chegada de um amigo telepata. E o que foi aquela linha aérea dos vampiros e aqueles caixões! O mundo dos vampiros é cool, very cool.

Até que não fiquei com tanta raiva da Maryann neste episódio. Ela organizou a festa da Tara, fez todo mundo ficar mais louco e pirado de novo, e ainda meio que revelou sua identidade. Já podemos dizer que ele é aquela criatura chifruda né! Finalmente não fiquei irritado e estou com vontade de ver o que esta personagem tem mais a mostrar.

E por fim, tivemos algumas outras breves participações. Sam não acrescentou nada, Daphne mostrou novamente sua marca, e Lafayette apareceu pouco, mas rendeu a melhor cena do episódio. Ri muito com ele saltitando todo louco depois de beber o sangue do Eric. Agora que venha o próximo, porque quero muito ver a continuação dos fatos, e principalmente, conhecer o novo “amiguinho” da Sookie.

Hung (1×02 – Great Sausage or Can I Call You Dick?)

E depois de tanto tempo, o segundo episódio de Hung saiu, e depois de mais tempo ainda eu fui conferi-lo. A série continua boa, mas este episódio foi inferior ao primeiro. Tudo continua ali, só senti falta do impacto que o piloto causou em mim. Talvez tenha sido o tempo (que agora é de 20 e poucos minutos), ou talvez tenha sido a distância entre um episódio e outro, mas não importa, continuo adorando a série e cada vez mais confio no seu potencial.

Começa uma série de demissões na escola onde Ray trabalha, e temendo ser o próximo, e em meio a tantas outras coisas ele decide enfim aceitar o convite de Tanya para se tornar um prostituto. E o primeiro programa dele é Lenore, uma antiga colega de Tanya. Eu simplesmente adorei esta personagem, toda sua extravagância e vulgaridade deu novos ares a toda seriedade da série. E a personagem parece que será fixa. Tomara né!

O melhor da série é a simplicidade. Além de toda parte técnica, direção, e claro, as atuações excelentes. Thomas Jane vai levando seu personagem bem dotado brilhantemente. E vamos indo, ver o que mais Ray vai aprontar nessa sua díficil vida. E já digo uma coisa: Hung é a minha nova “série séria” querida. Prontofalei!

Indicações e comentários do Emmy 2009

19/07/2009 § 1 comentário

Atrasado, venho aqui comentar os indicados ao Emmy 2009, premiação que ocorrerá no dia 20 de Setembro. As indicações foram feitas por Jim Parsons (Sheldon, The Big Bang Theory) e Chandra Wilson (Miranda Bailey, Grey’s Anatomy), e como sempre, teve algumas surpresas, coisas batidas, e etc. Mas afinal de contas, quem merece?

« Leia o resto deste post »

Hung (1×01) – Pilot

02/07/2009 § 2 Comentários

O que esperar de uma série que tem como protagonista, um homem super dotado ? Creio que assim como eu, muitos não esperavam muito, mesmo que tal produto seja da HBO, o que dá maior confiança de qualidade aos telespectadores. Mas não foi justamente isso que aconteceu, já que esse piloto não só me prendeu, como também deu a garantia da minha “audiência” para futuros episódios.

A história se baseia na vida de Ray, um professor que leva uma típica vida americana. Mas em um flashback, vamos vendo o que ocorreu para a vida dele afundar. Sua casa pega fogo, seus filhos vão morar com sua ex-esposa, e ele passa a viver no quintal da casa queimada, dormindo em uma barraca. È em meio a esses problemas que a história vai se desenrolando, até chegar no ponto que queria.

O personagem decide ir a uma reunião de “como ganhar dinheiro rápido e fácil”, e lá se encontra com Tanya, uma professora com quem ele já fez sexo (hilário ela gritando!). Em uma tarefa o palestrante pede a todos para achar uma habilidade, e Ray descobre que pode usar seu pênis grande ao seu favor, graças a uma idéia que era pra ser idiota da Tanya.

Toda a história vai se prendendo aos conflitos do personagem, o que garante o telespectador preso. Thomas Jane está ótimo no papel, e tem uma ótima química junto a também ótima Jane Adams. Devo destacar outra atriz que leva muito bem sua personagem, Anne Heche. Toda a parte técnica também convece muito. No ínicio eu pensei : “ainda bem que não tem 50 e tantos minutos”. Mas no final, minha opinião foi contrária, porque a trama é tão cativante e simplista, que dá muita vontade de quero mais.

Agora Ray e Tanya decidem se unir para usar a ferramenta do dotadão com o próposito de gerar lucro. Vou ver a continuação dessa história, e ver no que vai dá. Se você não viu, trate de baixar logo. Hung foi a  única estréia que fiz questão de baixar, e digo que a série promete vingar muito, além de ser visível o seu grande potencial (ops!).

True Blood (2×03) – Scratches

01/07/2009 § 3 Comentários

Me fala aí se você não ficou super ancioso pra ver o que o Bill ia fazer com a família da Jessica ?! Mas parece que foi só a gente mesmo, porque o episódio já se inicia com Bill e Sookie dentro do carro. Se isso será mostrado mais a frente (dúvido!), não sei, mas que foi uma tremenda mancada, ah foi. Agora vamos falar do que foi esse episódio de True Blood.

Já falei que Jason Stackhouse está numa das melhores tramas da série ?! Suuper divertido ver ele como um bom moço, coisa que definitivamente o irmão da Sookie não era na primeira temporada. E ao contrário de muitos, eu acredito nele, e não acho que em breve ele irá acordar e voltar a sua vida “quero-sexo-e-malandrar”. Espero estar certo sobre isso.

Jessica é outra que está esbanjando simpatia. A personagem é íncrivel, e ver as tentativas dela de se adaptar a essa nova vida, é empolgante. Agora ela decidiu dar em cima do Hoyt. Taí um casal que pode render muita coisa. Na verdade já até rendeu um pouco, e eu simplesmente adorei os dois juntos.

Por favor, podem jogar pedras, mas Maryanne está sendo uma personagem tão irritante. Do fundo do meu coração não estou nem um pouco interessado mais em seus mistérios. E com a interpretação de uma atriz que não convence então, fica pior ainda. Se Michelle Forbes concorrer ao Emmy, vou ficar revoltadíssimo Beijo e tchau!

Agora Bill e Sookie estão numa tremenda gangorra. Estão no maior love, depois brigam, depois voltam a se amar. E fora que meu interesse pelos personagens era muito maior no ínicio. Mas tá, a leitura de mentes da Sookie me diverte, ainda mais na Ginger (fica mais, fica mais!). E finalmente Lafayette saiu daquele buraco, e por pouco não virava vampiro (thank you god). Agora só quero ver aonde é que o casal principal vai se meter.

Quero dedicar um espaço ao Sam. Na primeira temporada ele era “O” mala. Mas sabe que agora estou gostando dele. Foi legal vê-lo correndo junto ao outro cachorro. E até mais simpático ele ficou. È só se afastar da Sookie que tudo dá certo. Mas agora parece que ele vai se entreter com Daphne. E aquele final ficou claro que a personagem não entrou na série só pra ser uma garçonete inexperiente. Plaquinha : Eu já sabia!

Foi um episódio divertido e intrigante, mas sinto que True Blood está perdendo a essência em meio a tantas tramas. Fica assim : Mata a Maryanne, volta com o Lafayette pro bar, coloca o Bill e a Sookie pra contracenar bastante com o Eric, e dá um enfoque grande no Jason, Jessica, Sam e Daphne. Pronto, assim fico feliz e paro de reclamar mais do que o normal.

Agora é só dia 12 de Julho!

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para julho, 2009 em séries.com.