E SE…Marissa Cooper não tivesse morrido ?!

28/06/2009 § 76 Comentários

The OC, a série que conseguiu muitos fãs contando a história de Ryan, terminou a mais de 2 anos. Mas tal fato foi desencadeado por motivos de audiência, que consequentemente, está relacionado a morte de uma das personagens principais, Marissa Cooper. Mas então, e se Marissa não tivesse partido dessa para uma melhor, como será que a série seria em sua quarta temporada ?!

– A situação já não era boa.

A série ia caindo aos poucos na audiência. Da primeira para a segunda temporada, houve uma queda de 26% na audiência; da segunda para a terceira, a baixa foi de 15%, e da terceira para a quarta, 39% dos telespectadores deram beijotchau.

– O prego no caixão

Misha Barton, intérprete da personagem Marissa, decide sair da série. Ou seja, com uma das principais persongens (e mais querida) fora do ar, era o sinal de apocalipse. Arranjando uma maneira de “apagá-la” do programa, Josh Schwartz (criador do programa) decide matar Marissa Cooper, em um acidente trágico causado pelo seu ex- namorado Volchock.

– E não foi só por causa dela.

Com a morte da personagem, maior parte dos fãs abandonaram o programa. A morte da personagem realmente já escrevia o destino da série. Mas com isso, outros personagens também começaram a desandar. O casal mais fofo da série, Summer e Seth, tiveram um distanciamento bruto, causado pelo envolvimento da moça em uma trama ecologicamente chata. Ryan se fechou completamente, chegando a participar de uma espécie de Clube da Luta. Mas nem tudo foi perdido, já que tivemos a chegada de Kaitlin, e a participação mais afetiva da Taylor.

– Mas então, a situação poderia ser diferente ?

Se Marissa tivesse sido mantida, primeiramente que a audiência não seria tão brusca assim, podendo pelo menos gerar uma temporada completa (22 episódios). O relacionamento de Seth e Summer não seria afetado, já que a personagem de Rachel Bilson só entrou naquela fase de depressão por causa da morte da amiga. Ryan continuaria sua vida amorosa com a garota-problema, e não precisariamos aturar ele se excluindo de todos. Só que um fator importante também não seria utilizado : Taylor. A personagem não se envolveria com Ryan, e não ganharia tamanho destaque que teve.

– Dando a minha voz

Com a Marissa viva, seria louvável não ter aquela quebra no relacionamento de Seth e Summer. Mas seria desanimador não ver minha querida Taylor se mostrando completamente, e tendo aquele romance lindo com o Ryan. De uma coisa tenho certeza, a quarta temporada deveria mesmo ser o fim da série, seja lá com qual realidade.

– E você?

Com os fatos apresentados, você acha que o destino de The O.C seria melhor com a não-morte da personagem, ou achou satisfatório a trama da quarta temporada ? Deixe sua opinião sobre a morte de Marissa, e seus desdobramentos, aqui nesse post.

True Blood (2×02) – Keep This Party Going

27/06/2009 § 1 comentário

Foi um ótimo episódio, mas não tanto quanto o inicial. Em meio a tramas bizarras, hilárias, e emocionantes, True Blood mostrou aqui, que nem sempre dá pra manter o equilíbrio geral.

A história da Maryanne fica cada vez mais estranha. Vou fazer o possível pra não aguçar minha curiosidade em relação a trama dela, porque se não vou ficar louco. Como assim ela colocou todo mundo pra dançar no bar ?! E sério, aquela tremidinha é bem tosca. Aliás, ela fez o Sam virar cachorro. Tipo, WTF!

Lafayette continua no buraco. Aquele clima de Jogos Mortais está até legal. Agora o que foi aquela mulher atirando nele, hein. Muito hilário ! E o melhor : “Ei, ei, fui eu quem levou o tiro”. Que aquela histérica possa dar suas crises em mais episódios. E já digo uma coisa : lafayette vampiro não rola. Espero que eu quebre a cara.

Jason iniciou a trama da “Companhia do Sol” oficialmente. Agora ele está no acampamento, e já arranjou um inimigo. Bem, foi legal ele disputando o jogo e dando aquele ataque na apresentação do “teatro”. Fiquei com saudades da Amy naquele flashback rápido. O personagem só não pode ficar naquela santidade toda.

E finalmente temos Jessica, com a melhor trama do episódio. Ela quer encontrar sua família, e pede ajuda a Sookie, que inocentemente burramente a leva. Claro que daria confusão, e a vampira teen se vira contra seu pai. Até que então, Bill aparece e…não sabemos o que ele vai fazer. Ok, por mais que a Sookie tenha errado, eu estranhei o comportamento agressivo dele.

Estou apostando minhas fichas na Jessica nessa temporada, e algumas no Lafayette e no Eric. Maryanne e seus mistérios já não me empolgam mais (e olha que estamos no segundo episódio). Já Bill, Sookie e Jason, eu não espero muito, apenas o normal. Que a série não caia na mediocridade, e se continuar no nível que está, de uma certa forma, está valendo.

Balanço da temporada

19/06/2009 § 4 Comentários

É chegada a hora de relembrar os pesos e pesares da temporada. Já fiz o balanço de algumas séries separado – Chuck, Damages, Skins, True Blood – mas agora como não sobra tempo, resolvi fazer das que faltam, tudo em um só post, com uma avaliação menor e mais rápida. Então, vamos conferir meus comentários sobre as séries desta temporada 2008/09 :

Fringe foi a série que eu desisti mesmo achando toda a trama boa. Mas vendo os comentários do pessoal, e com a temporada já encerrada, resolvi voltar com a série. E não me arrependi. A partir de Safe, a trama começou a crescer de uma forma muito signifigativa, e embora tenhamos tido episódios fracos, essa foi a fase crescente da série. A fase que mostrou que Fringe era muito mais do que prometia ser. È então que podemos dizer que tivemos uma temporada consideravelmente boa, com algumas tramas inteligentes (outras não), e com personagens que, pelo menos a mim, cativavam.

Melhor episódio : The Road Not Taken (Grandes considerações a “Ability” e “The Inner Child”)

Pior episódio : Midnight

Média da temporada : 8,75

MVP : John Noble

Já falei que Gossip Girl pra mim é aquela série que você vê por diversão. Porque tem coisas legais, tem músicas styles, tem intriguinhas bobas, tem citações pop, entre outras coisas que não conseguem prender tanto. Começamos a temporada bem, depois entramos numa fase ruim, e ficamos só nesses altos e baixos. Diferente da primeira temporada, que pelo menos conseguiu manter um nível mais estável. Coisas decepcionantes como a Serena tentando ser bitch, desanimaram totalmente. Mas também tivemos a presença de Georgina, que mesmo aparecendo em apenas 1 episódio (os outros foram alguns minutos só), fez jus a sua personagem, que pra mim, é a melhor da série. Entre erros e acertos, podemos concluir que Gossip Girl teve uma temporada razoável, fazendo bonito em alguns momentos, mas ao mesmo tempo, trazendo um ar de mediocridade.

Melhor episódio : The Good Bye Gossip Girl

Pior episódio :  Carnal Knowledge

Média da temporada : 8,42

MVP : Leighton Meester, Ed Westick

O que falar de Heroes, hein ?! A série se perdeu totalmente, em tramas mais chatas que o filme do pelé. Nenhum personagem me fez ficar preso a série, nem mesmo Sylar, o vilão que na primeira temporada brilhava totalmente. Já comparando a primeira temporada, posso dizer que foi a única que prestou. Olhando a série no geral, somente ela fez jus a todo o hype. Depois veio a segunda ruim, e essa terceira idem a anterior. Hiro, aquele japa que falava “Yatta”  e alegrava todo mundo, virou um dos personagens mais inúteis de toda a trama. Coisas boas foram raras, mas existiram, como a chegada de Danko, a participação mais fixa da Kristen Bell, e…só ?! Acho que sim. Eu desisti da série, perder meu tempo com uma história que só tende a enrolar mais ainda, não dá! Já disse e repito, peguem as malas enquanto é tempo.

Melhor Episódio : Cold Snap

Pior Episódio : 1961 (um dos piores O PIOR episódios que já vi na minda vida)

Média da Temporada : 8,20

MVP : —

Já começo dizendo que Lost não é mais a mesma coisa desde a algum tempo. Mas não é por isso que essa temporada foi ruim. Tivemos episódios excepcionais, e foram poucos os episódios ruins. Só que olhando toda a temporada, é notável que o nível caiu, e essa coisa de viagem no tempo ficou um pouco…perdida. Esta foi a temporada que me fez amar a Juliet, e principalmente torcer absurdamente por seu romance com o Sawyer. Também foi a temporada que passei a achar o Locke, o Jack e a Kate uma turminha beem porre. No mais, a temporada não foi ruim, só não foi tão marcante e especial como antes. Ou vai querer comparar esta com as primeiras temporadas ?! Não dá mesmo.

Melhor Episódio : The Incident (Destaque relevante para “This Place is Death“)

Pior Episódio : The Life and Death of Jeremy Bentham

Média da temporada : 9,03

MVP : Elizabeth Mitchel, Michael Emerson

A temporada começou brilhantemente, a trama estava muito bem e dando um gás que parecia não acabar. Um pouco depois de Selfless, as coisas foram caindo um pouco, parecendo fazer com que eles não tinham mais o que fazer. E aí veio o anúncio do término da série. E pra completar ainda tivemos uma pausa imensa. Gente, como fazem isso com uma série como Prison Break, que é marcada por ter uma sequência de fatos que fazem você querer continuar e continuar ?! Aí a série volta e vem junto com a mãe do Michael, uma inserção que pra mim, foi um tiro no pé. O que podiamos fazer era acompanhar o restante da série, de coração aberto e esperar um final ao menos digno. Então tivemos um final bacana e ousado, emocionante, tenso, surpreso, e podemos sim dizer que a série encerrou sua jornada com chave de ouro, e fez uma temporada consideralvemente boa.

Melhor episódio : Selfless (Considerações a “Greatness Achieved”)

Pior episódio : The Mother Lode

Média da temporada : 8,81

MVP : Robert Knepper, William Fichtner (Tenho que colocar aqui uma consideração a minha querida Jodi Lyn O’Keefe, que mesmo não tendo muito destaque, arrebenta)

Quem viu a primeira temporada e viu a segunda, sabe que a série cresceu de um tamanho, que fica até díficil descrever. Os amigos nerds foram aparecendo de mansinho, até conquistar muitos fãs, crescer na qualidade, e também na audiência, já que a série arrebentou nos EUA e ganhou mais duas temporadas. Acho díficil alguém falar que Sheldon não é o melhor personagem na série. Para alguns foi incômodo esse grande destaque para o personagem, mas pra mim, só foi a ganhar. Ver as caras e bocas, os diálogos, e as esquisitices dele é simplesmente hilário. E Jim Parsons merece pelo menos concorrer ao Emmy. Temporada ótima, que entre poucos erros (como a saída repentina da namorada do Leonard), fez MUITOS acertos.

Melhor episódio : The Barbarian Sublimation/The Bath Item Gift Hypothesis/The Terminator Decoupling/The Monopolar Expedition (Sorry!)

Pior episódio : The Financial Permeability

Média da temporada : 8,86

MVP : Jim Parsons! Jim Parsons! Jim Parsons!

Séries que eu não completei a temporada : 30 Rock, Worst Week, Trust Me, Lie To Me, Dollhouse, Smallville e United States of Tara.

True Blood (2×01) – Nothing But the Blood

17/06/2009 § 3 Comentários

Parece que foi ontem que eu fiquei com ódio do Rene, pena do Bill, e espantado com a cena final do último episódio da primeira temporada. E agora estamos aqui, prestes a falar dessa premiere que inicia uma nova temporada, e pelo visto, uma nova era. True Blood mostrou neste episódio, que tem história pra todo mundo, algumas melhores que outras, mas no final das contas, tudo se liga, e tudo empolga. Agora é se preparar para uma temporada eletrizante, porque pelo que parece, terá sangue jorrando para todos os lados.

Continuamos do ponto que paramos, e aquele ínicio de episódio foi sensacional. Primeiro que foi muito bom descobrir que não era o Lafayete o morto no carro, segundo que que foi arrepiante ver aquela exorcista-fake  (que “exterminou” os demônios da mãe da Tara) sem o coração, e terceiro que foi demais ver a revelação do verdadeiro morto (no caso, morta) seguido pelo grito da Tara, iniciando o episódio com a nossa linda e bela abertura. Ah sim, a abertura continua a mesma, nínguem precisa se preocupar. Mas antes preciso dizer que seja lá quem fez a abertura fake, está de parabéns, porque tirando aquela músiquinha sofrível, ela era bem estilosa.

O que parece que vai fluir muito nessa temporada é a trama dos personagens, já que pelo menos no que vimos, todos eles terão grandes histórias pra contar. O relacionamento de Sookie e Bill continua indo bem, apesar da garçonete descobrir que o seu amado matou seu tio, e a constante presença da nova “filha” encrenqueira do Bill, Jessica . Falando nisso, desde “I Don’t Wanna Know” eu gostei da adolescente, mas agora que ela promete ser fixa na temporada, a coisa vai ser melhor ainda. Como aquela menina é cool!

Maryann é a personagem mais enigmática de longe. Gente, o que é aquela mulher ?! Nínguem sabe nada, a não ser que ela já foi pra cama com um Sam jovem, e quer Tara e Eggs juntos. Até o momento pensávamos que ela havia voltado para se vingar do Sam, mas ela mesma disse que sua aparição envolve outras coisas. E afinal de contas, o que foi que houve com ela naquela cena de sexo com o Sam ?! Espero que toda a trupe por trás da série não se atropelem em meio a tantos mistérios.

Jason está mais diferente do que nunca. O personagem na primeira temporada era demais, e por mais que ele tenha sofrido uma grande mudança, continua sendo divertido. Agora ele pretende entrar na “Companhia do Sol”, uma entidade que odeia vampiros, mas que tem ligações com a Igreja e tal. Muita coisa vai rolar junto a Steve Newlin e sua esposa, que me deram a sensação de que nem tudo é o que parece. Aí tem coisa.

E o Lafayete hein! O que aconteceu com ele para parar naquele “porão” amarrado por umas correntes. Pelo que deu a ver, todos que estão ali fizeram algum mal a vampiros. E todo mundo sabe que Lafayete vendia V. Mas o melhor mesmo foi o Eric aparecendo no lugar. O mór-vampiro promete arrasar nessa temporada, e aquele final, aonde ele estrangula o bad boring boy, só veio pra provar o quanto o vampirão é poderoso.

Foi um episódio excelente, que abriu as portas para uma temporada excepcional. Sangue, sexo, mistério e muitos outros elementos, acrescentaram a trama um toque a mais. Vamos torcer para que o ritmo continue assim, e que o nosso querido Alan Ball possa guiar brilhantemente essa série, que é muito mais do que “uma série com vampiros”.

pS¹ : Anna Paquin hot, hot hot!

pS² : O retorno bateu um recorde de audiência para a HBO. A média ficou em 3,7 milhões de telespectadores, o que fez a série ser a mais assistida da emissora desde o final de The Sopranos.

Dia dos namorados atrasado

15/06/2009 § Deixe um comentário

Antes de mais nada, quero dizer que sinto muito por tamanha falta de atualização no blog. E isso é um pedido de descupas tanto para os leitores, quanto para mim, já que amo-muito-tudo-isso (trocadilho), e acabo abandonando meu “filhote”, e ficando pra trás por causa de diversas coisas. Estou no chamado “ano do estudo”, então as coisas realmente ficam bastante apertadas, mas vou lutando contra o tempo, e fazendo o possível para acompanhar as séries, e também, escrever aqui.

Pois bem, perdi o Dia dos Namorados e gostaria muito de celebrar e parabenizar nossos atuais (e eternos) casais do mundo das séries. Para não ficar muito estranho, postando listas ou algum texto, só vou colocar um novo cabeçalho por dia, com dois diferentes casais marcantes. Já é fato que eu não acompanho todas as séries do mundo, então fica díficil agradar todo mundo. Mas,  se você tem um casal que ama muito, e quer vê-lo lá em cima, diga aqui nesse post, e quem sabe a “brincadeira” não se estende um pouco mais. Serão 5 imagens, totalizando 10 casais. Já está no ar o primeiro cabeçalho, com Sawyer e Juliet (Lost) e Derek e Meredith (Grey’s Anatomy).

Agora, vou tentar ficar mais atualizado com o blog, e tentar satisfazer a quem realmente gosta daqui, e a mim também, claro. Então, vamos que vamos!

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para junho, 2009 em séries.com.